terça-feira, 28 de outubro de 2014

Lallana e Gabriela Irigoyen

Como artesã acredito no conhecimento, no aprendizado constante, na exploração de caminhos ainda não trilhados. E quando surgem oportunidades raras ( considerando que não moro no circuito de cursos ou em que geralmente ocorrem eventos com convidados da área ) não podia deixar esta passar. E neste caso me refiro a participação da Gabriela Irigoyen no evento Charneira que ocorreu na PUC/PR.
Já conhecia seu trabalho pelo facebook e tinha muita vontade de ver seus livros "com as mãos"...rs..

Falando do evento, a semana foi recheada de palestras e workshops destinados ao público e estudantes de design.
Além disso, também havia um bazar muito charmoso com diversos produtos.
O workshop com a Gabriela aconteceu nos dias 21,22 e 23 de Outubro.
Quando fui fazer minha inscrição foi por um triz!!! Inclusive as turmas estavam lotadas (fui a última) e já estavam abrindo listas de espera devido à procura. Foram duas turmas, uma pela manhã e outra a tarde.
Como o universo estava conspirando a meu favor, aproveitei para arriscar um pouquinho mais e adivinhem? Pedi e fui atendida! Solicitei a Gabriela uma entrevista e ela gentilmente me atendeu ao final do curso no dia 23.
Sendo assim, acompanhem até o fim desta postagem, onde comentarei os trabalhos feitos e na íntegra, Dani de "Repórter por um Dia" com Gabriela Irigoyen  ;-)

fonte: Gabriela Irygoyen
Estas foram as propostas do Workshop para produção. 
Costura básica de cadernos/folios mútiplos - Concertina - Pamphlet/borboleta com bolso


fonte: www.facebook.com/charneirapuc
Todos com capa flexível  ;-)



fonte: www.facebook.com/charneirapuc
E iniciamos os trabalhos.
Explicações dadas começamos a produzir. Uebaaa!!
Gabriela sempre sorridente e atenciosa.



Lallana no Workshop de Gabriela Irigoyen
O primeiro trabalho foi a costura básica



Lallana no Workshop de Gabriela Irigoyen
Capa Flexível Dupla e efeito externo. 
Ficou muito show!


Lallana no Workshop de Gabriela Irigoyen
Concertina - 2 cadernos - 3 furos
3 cadernos - 5 furos



Lallana no Workshop de Gabriela Irigoyen
Pamphlet




Lallana no Workshop de Gabriela Irigoyen
Com bolsos internos
Um charme!



E agora, vamos a entrevista?


Como tudo começou?

Eu sou de uma família de leitores vorazes, na minha casa sempre teve biblioteca e muitos livros. Minha família sempre se mudou muito, eu sou argentina, mas vim para o Brasil com seis anos e nós moramos em várias cidades diferentes.
O que eu sempre me lembro da minha infância eram as caixas de livros. Porque tinha que colocar as caixas de livros, eram sempre as mais pesadas, as que davam mais trabalho, então os livros sempre tiveram uma presença física, do objeto. E era uma preocupação, era algo bom, valorizado e eu tinha muita liberdade de pegar os livros, não tinha isso de dizer que este livro não é para você ou não é para sua idade, eu lia de tudo.
O objeto livro tinha uma importância muito grande na minha vida. Tinha que escolher o lugar onde os livros iam ficar, era algo que envolvia a família inteira.


Como você classificaria seu trabalho, seu estilo?

Na verdade eu me considero uma artista do livro. Além de fazer livros, sou ilustradora e escrevo.
Eu uso o livro como expressão. Faço exposições, já participei de exposições individuais e coletivas com o tema livro, o livro como objeto, livro de artista, que existem várias definições dentro da arte contemporânea sobre esse lado do livro de artista.
A linha que eu falo que é mais comercial são os livros sob demanda. Eu sempre trabalho com livros únicos, cada livro para mim é um projeto. Mesmo os livros que eu vendo na loja online e que faço sob demanda são únicos, então são para galerias, para artistas plásticos, colecionares, basicamente esse é o meu público.
Não faço tiragens muito grandes, não trabalho com quantidades, mas sim com o livro único, meio na contra mão (rs), porque eu foco o colecionador e não o consumidor, no sentido daquele que consome várias coisas sem pensar. O foco é aquele que busca algo especial, único, de coleção.


De quando você começou até hoje, o que você acha que melhorou referente mercado, ferramentas e materiais que gostaria de mencionar?

O que melhorou foi a questão do ensino. Quando comecei as pessoas não queriam ensinar. Foi difícil encontrar alguém que quisesse ensinar.
E quando eu comecei a ensinar me falavam:  Você vai ensinar isso? As pessoas vão fazer os mesmos livros que você faz! Respondi, não tem problema. Tem que ensinar.
Aí houve um boom. Comecei a ensinar e hoje várias alunos meus já ensinam.
Acho bacana você despertar um interesse, esse amor pelos livros, pela forma de fazer livros, não só como hobby, mas também profissionalmente. Um designer que sabe fazer um livro e sabe desenvolver projetos editoriais, é muito mais interessante do que aquele que não conhece o processo de fazer o livro. É algo que não pode perder, tem que ensinar. Uma coisa é o aspecto do ensino, da aprendizagem.
Outro aspecto que melhorou foi como aumentou a demanda, as pessoas aprendiam e queriam fazer, forçou o mercado a oferecer mais ferramentas. Eu comecei há 10 anos então hoje em dia tem muito mais ferramentas, opções, facilidades para fazermos livros.
Dentro da minha proposta nas oficinas sempre procuro ensinar de forma que as pessoas possam fazer com o mínimo de ferramentas possíveis, com o que tem em casa. Até para não incentivar que consumam coisas que nunca vão usar, mas fazer um bom livro, bem acabado e bem feito com o que tem em casa.


Planos para o futuro? Projetos, exposições?

Este ano já foi um ano incrível, comecei expondo em Paris e dando aulas lá! Foi um ano maravilhoso!
Acabei uma exposição agora dia 18, tenho exposições planejadas para o ano que vem em São Paulo e outra no Rio de Janeiro.
Os projetos são trabalhar sempre, que sempre haja trabalho, que sempre tenha pessoas que gostem de comprar livros, este é o meu desejo!


Que conselho você daria para quem está começando?

Estudar, estudar, pesquisar e arriscar.
Existe muito uma discussão, como eu não tenho uma formação formal e sim artística em belas artes, vou muito para este lado artístico do livro como peça de arte, então eu gosto de arriscar, de criar.
Hoje em dia na maioria das minhas oficinas eu sempre desenvolvo modelos que tenham alguma contribuição minha na estrutura, nas costuras, nos detalhes, no acabamento e isso incentiva e favorece a multiplicidade.
O que estava acontecendo é que as pessoas estavam usando sempre os mesmos modelos e fazendo os livros sempre do mesmo jeito quando não precisa. Você pode fazer muitas outras coisas! Ficam presas a discussões de que o tradicional é assim ou o certo é desta forma.
O certo é um bom livro que abra bem, que atenda a função não só de conteúdo, mas que seja um objeto de beleza também. Se você consegue reunir todas estas características, porque encadernação é isso também como diz Josep Cambras ( encadernador espanhol ) "Encadernação é a arte de embelezar o livro". Além de ser belo, além de ter uma boa estrutura, uma abertura excelente, tem que ter um "uau", um "tcham", algo que faça com que as pessoas gostem. 
Tem gente que me escreve dizendo: "Ele era tão lindo que eu tinha que ter ele para mim!" Olha que coisa maravilhosa! Isso para uma designer de livros, uma pessoa que faz livros é a melhor coisa que tem!

Foi pubilicado um livro chamado Little book of book making: Timeless Techniques and Fresh Ideas for Beautiful Handmade Books Hardcover - August 12, 2014 - by Charlotte Rivers



Lallana no Workshop de Gabriela Irigoyen


Ela escolheu 30 artistas para colocar no livro. Nele falou do meu trabalho, tem vários passo a passo, várias dicas de encadernação é bem bonitinho. Foi lançado agora em agosto nos Estados Unidos, para quem se interessa é bacana conhecer outros artistas. Entre os brasileiros neste livro, estamos eu e a Luiza do Canteiro de Alfaces.


Para finalizar, quem é Gabriela?

Que pergunta difícil (rs).
Hoje, porque eu acho que não somos a mesma pessoa sempre, vamos amadurecendo, vamos aprendendo outras coisas e acrescentando ao nosso repertório. Eu sou uma pessoa que gosta muito de trabalhar, amo meu trabalho, amo ensinar e gosto de estar com as pessoas.
Meu trabalho é solitário. Gosto de dar oficinas porque é o momento da troca, o momento de contribuir, de compartilhar. Eu sempre aprendo mais do que ensino. A generosidade é mútua.
É isso, sou uma pessoa que gosto do que faço, de compartilhar e viver do meu trabalho.


E foi isso, uma breve entrevista, mas que diz muito sobre o trabalho e a pessoa Gabriela Irigoyen.

Quanto a mim, participar deste workshop foi sensacional! Recomendo sim que cada artesão, independente de que área for, busque aprendizado, conhecimento, novidades, dicas e etc. 
Os profissionais que estão a mais tempo que nós neste mercado, tem muito a ensinar. E quando aliado a generosidade, atenção, cuidado e amor ao que faz, é mais que prazeroso. <3 <3 <3
Meu intuito é agregar, agregar sempre! Outro ponto de vista sobre o desenvolvimento do trabalho, uma nova técnica, tudo é válido e vai somando ao que aprendi anteriormente. E o estilo apresentado abriu novas possibilidades ao meu trabalho, considerando que não era um estilo que eu estava familiarizada e adorei!!! E o bacana foi o plus, que era algo que queria despertar em mim, esse olhar artístico, que vai além.
Foi um contraste super interessante, o jeito calmo, o falar baixo da Gabriela e meu jeito elétrico, hiperativo...rs...
Este workshop foi show!!! Foram 3 dias de novidades e muita informação. Na verdade, são tantas idéias, queria que meu dia tivesse 50 horas para eu poder realizar tudo...rs...
Tudo que eu aprendo aplico a minha forma de ser, ao que quero apresentar no resultado do meu trabalho. Se não posso mudar tal costura que escolhi, uso um tecido que é o estilo Lallana, um detalhe que transformo em detalhe Lallana, tudo pode ser personalizado a sua marca e estilo. É ter uma identidade. Identidade esta que estou construindo passo a passo de forma sólida.

Faço minhas as palavras da Gabriela quanto: "O que estava acontecendo é que as pessoas estavam usando sempre os mesmos modelos e fazendo os livros sempre do mesmo jeito quando não precisa. Você pode fazer muitas outras coisas! Ficam presas a discussões de que o tradicional é assim ou o certo é desta forma."

Pegando um gancho, EU sugiro: Que tal criticar e denegrir menos os trabalhos alheios, outros profissionais e estudar/aprender/criar mais? Tenho visto muito isso, até mesmo infelizmente ocorreu comigo recentemente. Penso que difamar os outros é muito feio e principalmente desperdiçar tempo e energia fazendo isso, além de anti-ético não fará com que qualquer espaço seja conquistado. 
Think about it!!!   ;-)

E é isso que busco em cada encontro e cada aprendizado, inclusive os ruins. Assim como tive bons encontros há os maus encontros. Mas tudo vale para acrescentar, melhorar e focar cada vez mais em meus planos, em que vou me arriscar, experimentar e vivenciar. 
O bom me motiva, mas o ruim só me fortalece!

Agradeço as oportunidades dos cursos que fiz, das aulas presenciais que participei, das várias possibilidades que se abriram e ao final, pelo laço de carinho que surge com os professores após este contato tão especial.

Gabriela, obrigada pelo curso, pela gentileza em me conceder esta entrevista e desejo muito sucesso em seus próximos projetos :-)

Abaixo links para que possam ver mais do trabalho da Gabriela Irigoyen.
Enjoy!








Daniela Fellipe
Lallana Atelier

“Peças artesanais para decoração, harmonização
e presentes especiais para pessoas especiais.
Assim como você!”




sábado, 11 de outubro de 2014

Agendas Lallana 2015

A 1a. fase de Agendas Lallana 2015 já está pronta.
São agendas de bolsa, práticas, lindas e com espaço interno para colocar todas as informações importantes.
Estampas maravilhosas para que você tenha uma agenda única e super estilosa.


Qual é o seu estilo?
Encontre a sua!

Conheça estas e as próximas peças que já estão em produção em nossa loja.
Aproveite e curta nossa fanpage no facebook e fique sempre por dentro de todas as novidades.



Lindas agendas artesanais Lallana




Daniela Fellipe
Lallana Atelier

“Peças artesanais para decoração, harmonização
e presentes especiais para pessoas especiais.
Assim como você!”